Roteiro Turístico

No caso de Vagos, não existem imóveis classificados, pese o facto de alguns, pelo seu carácter arquitectónico erudito ou popular, poderem vir a ser alvo de algum tipo de classificação. A arquitectura civil privada está bem representada, sobretudo com edifícios de carácter popular ou rural, que neste caso são vários e dispersam-se ao longo dos caminhos. Neste contexto, destaca-se a tipicidade da Casa Gandaresa, numa mescla de elementos urbanísticos que se conjugam com a vivência telúrica das populações. Estas construções espraiam-se, acompanhando a linha das vias de comunicação, alongando-se, lado a lado, ao longo do núcleo habitacional. À sua construção em adobe (areia com cal ou barro) é inerente a um passado erigido às custas do esforço de uma população pobre mas lutadora, para a qual a casa era mais do que um dormitório. A “estrumeira”, espécie de pátio interior, é um exemplo claro do aproveitamento económico do espaço, já que a criação de gado para a lavoura e para consumo próprio era prática corrente. No entanto, face à expansão e remodelação do parque habitacional, é evidente a transformação desta linguagem tradicional, através de uma mistura de elementos, tendo como critério a escolha de materiais modernos com maior oferta no mercado e o uso de elementos visuais e decorativos provenientes de outras regiões. A este facto não é alheia a influência “importada” com o regresso dos muitos emigrantes que, outrora, abalaram para terras de França, América ou Venezuela - esta última com uma influência marcante no sul do concelho. Assim, com a renovação do edificado, são empregues sistemas de construção modernos, nomeadamente, betão armado e sistemas mistos. 
 
 
A nível patrimonial merece especial destaque na freguesia a Igreja Matriz, Capela da Sra dos Passos, Capela da Sra do Encontro, Capela do Boco, Capela do Fontão, Capela de Lavandeira, antiga Capela de Lavandeira e a Capela do lugar de Salgueiro. Da área que ocupa a Freguesia de Sosa, é sem duvida a paisagem natural que merece grande destaque. A Freguesia encontra-se rodeada de vastos campos, cuja predominante agricultura lhe confere um aspecto verdejante e fresco por alturas de Verão. A beleza do rio Boco, que tem a sua nascente na freguesia de Febres na Localidade das Balsas,  passa pela Freguesia de Soza, com imponetes paisagens, indo desaguar na Ria de Aveiro. 
 
A VISITAR:
Velha Ponte de Fareja 
Rio Boco 
Praias do Rio Boco 
Qta das Azenhas do Boco 
Capela da N.ª Sr.ª do Encontro 
Capela de N.ª Sr.ª da Graça, Salgueiro 
Capela do N.º Sr. dos Passos 
Capela Velha, Lavandeira 
Capela de S. João Baptista, Fontão 
Capela de S. Inácio, Boco 
Igreja Matriz de Sôsa 
Capela de N.ª Sr.ª do Pilar, Lavandeira 
 
 
AZENHA BARRETO, BOCO
Propriedade da Familia Freire, a Azenha Barreto conserva a traça original, sendo a unica da zona a manter-se em actividade quase permanente, moendo ainda o milho de forma artesanal.
No interior, as engrenagens em madeira e inúmeros utensílios rústicos, de medida e outros, permanecem fiéis ao quotidiano tradicional dos nossos moleiros, convidam a sua intensa e nostálgica experiência histórica. 
 
QUINTA DAS AZENHAS, BOCO
Morada: Vale do Boco 3840-341, Sosa
Contactos: Telf.: 234 799 799
 
AZENHA CAPELA, BOCO; SOLAR DA PEDRIGOSA; VALE DAS MAIAS
A riqueza turística do Vale das Maias excede a mera visita às minas de água, cuja envolvente propicia momentos agradáveis de saudavel convívio com a natureza, num espaço adoçado pelos aromas exalados pelas árvores de fruto e flores silvestres.